5 de junho de 2018

Utilidades

MITOS SOBRE A DEDETIZAÇÃO

Mal se acende a luz, a sombra da barata foge rumo à parte de trás do armário. Em cima da mesa de jantar, centenas de formigas rodeando um resto de comida do dia anterior. Ao abrir a gaveta do móvel de madeira: furos e resíduos da madeira, toda comida por cupins. Na despensa, dispensa comentários: a comida toda ruída e um forte cheiro de urina. Quando a situação chega a esse ponto, não tem mais o que ser feito: chineladas, aerossóis tópicos, qualquer tipo de tentativa ao combate às pragas será mal sucedida. O que precisa ser feito, nesse momento, é chamar a AMBITEK SERVIÇOS, uma empresa responsável e com profissionais capacitados para combater as pragas em sua residência, condomínios e até mesmo empresas e indústrias. Porém, muitas pessoas ainda possuem um pouco de preconceito a respeito da dedetização, mas com o avanço da tecnologia, hoje os produtos são menos tóxicos.

Com isso, trouxemos alguns mitos sobre a dedetização para que você não fique mais na dúvida e faça a coisa certa:

“Se o produto não tem cheiro, é porque não funciona”.

Muitas pessoas acreditam que, se eles não podem ver cheirar ou ouvir um spray, ou outra forma de dispositivo de pragas de remoção, é porque o produto não tem eficácia e, desta forma, estão simplesmente desperdiçando dinheiro. Isso é falso. Nos últimos anos, muitas inovações aconteceram com relação às práticas e químicas utilizadas no controle de pragas. Felizmente, sprays que emitem menos odor foram uma das mudanças.

“Não estou vendo nenhuma praga, então elas não são um problema”

“O que os olhos não vêem, o coração não sente”. Infelizmente, este ditado popular não pode ser aplicado às pragas urbanas. Pelo contrário, é um equívoco comum que, se você não está vendo nenhum inseto, aracnídeo, ou roedor em torno de sua casa, então eles não estão lá. Isso é completamente falso. A melhor maneira de ter sua casa segura é realizando o controle periódico contra as pragas.

“Vou combater as pragas sem apoio profissional”

Infestações de todos os tipos de pragas são mais eficazes se tratadas por profissionais treinados, uma vez que estas pessoas são especialistas e sabem tudo sobre essas criaturas irritantes: onde encontrá-las, como tratá-las corretamente etc. A utilização de produtos que não possuem certificação técnica, pode não só ter repercussões perigosas, como também às pessoas vão acabar gastando mais dinheiro e podem sofrer algum dano, além de fazerem o trabalho todo sozinhas, ao invés de simplesmente chamar um profissional.

As pragas são nocivas à saúde e a AMBITEK SERVIÇOS se preocupa com seu bem-estar e de sua família. Esperamos que tenha aprendido um pouco e não seja mais teimoso. Quando as pragas persistirem em sua residência, condomínio, empresa ou indústria, chame uma empresa profissional, contrate a AMBITEK SERVIÇOS!

Percevejos-de-Leito

Insetos caracterizados por odores que exalam.

Existem muitas espécies: algumas hematófagas (se alimentam de sangue); e, outras fitófagas (se alimentam de seiva das plantas). O percevejo-de-leito é o que combatemos.

São insetos achatados, de contorno oval e cheiro característico. Não possuem asas. Biologia O ciclo de vida do percevejo-de-leito é formado pelos seguintes estágios: ovo… Ninfa… Adulto.

A Fêmea coloca seus ovos bem juntinhos e arrumadinhos, em fresta de estrados, poltrona, sofás e camas de onde saem nas formas jovens.

Principais Espécies Urbanas Os percevejos, tanto hematófagos quanto fitófagos, possuem um odor característico, produzido por glândulas.

Os percevejos-de-leitos (Cimexlectularius) são encontrados dentro de colchões, embaixo de estrados, frestas de móveis e, principalmente, em dormitórios.

Dispersam-se em roupas de cama, quando a pessoa senta no local infestado.

Podem ser encontrados em estofados também. Aparecem também em ônibus, metrô e trem.

Existem ainda os percevejos que infestam andorinhas (Cimexhirundunis), pombos (Cimexperistera) e galinhas (Cimexornithococistoledoi).

Aspecto 4 a 5 mm de comprimento. Oval e achatado da traseira para a parte inferior, com patas bem desenvolvidas, mas sem asas.

Boca adaptada à perfuração e sucção.

Cor castanho vermelhado. Ciclo de vida 200 – 500 ovos depositados ao longo de 2 meses, em grupos de 10 a 50. Hábitos Alimentam-se de sangue humano.

Encontram-se em rachas e fendas, cabeceiras de camas, atrás do papel de parede, no reboco quebrado, em interruptores, debaixo de carpetes, nos rodapés, etc.

Os percevejos das camas são animais noturnos. Identificação e Vestígios

– Picadas que causam coceiras, podendo lesionar a pele;

– Manchas de sangue no colchão onde deitamos;

– Os próprios percevejos sob o colchão.

Medidas de Prevenção

1 – Limpar freqüentemente os locais de alojamento de pessoas, especialmente em quartéis, hospitais, presídios.

2 – Manter o assoalho e as junções calafetados e encerados, pois as frestas no assoalho servem como locais de abrigo e de postura de ovos.

3 – Vedar fendas e orifícios nas paredes, inclusive nos abrigos de animais domésticos.

4 – Cuidar da higiene pessoal.

5 – Manter limpos animais domésticos.

6 – Expor ao sol, periodicamente, roupas, colchões e camas, pois o calor e a luminosidade desabrigam os percevejos.

7 – Vistoriar freqüentemente roupas, móveis e objetos que tenham sido transportados de outros locais, principalmente, se forem de locais infestados.

Medidas simples podem ser tomadas a fim de reduzir problemas ocasionados por pragas.

São elas:

  1. Baratas

– Vedação e limpeza de caixas de gordura e esgoto;

– Vedação de ralos com tampas apropriadas;

– Vedação com borrachas da parte inferior de portas de acesso externo;

– Vedação e limpeza de lixeiras e tubos de queda;

– Eliminação de lixo com tampas e sacos plásticos. O recolhimento deve ser diário;

– Acondicionamento de alimentos em recipientes fechados;

– Estoque em estrados suspensos do chão com altura mínima de 10cm e afastados das paredes;

– Eliminação de entulhos e material em desuso;

– Reparo de frestas de azulejos, acabamentos de paredes, bancadas, teto, feito com cimento branco e, também com silicone;

– Limpeza de locais de abrigo, tais como: base de ventiladores, prateleiras, atrás de quadros inteiros de armários;

– Higienização diária dos pisos após expediente.

  1. Formigas

– Manter limpos armários, pias e bancadas;

– Guardar alimentos em potes; Guardar açucareiro na geladeira;

– Vedar frestas nas pias e azulejos.

  1. Pulgas

– Calafetar frestas em pisos de madeira;

– Catação do animal doméstico e banhos no veterinário com anti-pulgas;

– Realizar aspiração e varreduras freqüentes antes da aplicação da Insetisan;

– Lavar tapetes e carpetes freqüentemente e antes da aplicação da Insetisan;

– Higienizar com freqüência diária os canis, lavando inclusive as paredes.

  1. Traças

– Evitar acúmulo de papéis e tecidos;

– A varredura ou aspiração deve ser feita de seis em seis meses.

  1. Moscas

– No controle de moscas é importante a higiene sanitária, como manter lixeiras limpas, com sacos plásticos e tampadas, desentupimento de esgotos sanitários, limpeza diária de banheiros, lavagens de depósito de lixo e, se possível, que o depósito de lixo seja refrigerado.

  1. Mosquitos

– As medidas auxiliares iniciais consistem na eliminação de criadouros disponíveis para o desenvolvimento das formas jovens. Desta forma, devemos eliminar todos os locais e objetos que retenham água como vasilhames, pneus, sucatas, caixas d’água abertas, valas, calhas. É aconselhável a utilização de telas nas janelas.

  1. Ratos

– Acondicionamento de lixo – todo material a ser descartado deverá ser embalado em sacos plásticos e separados para serem recolhidos pela coletora. Essa retirada deverá ser feita diariamente em áreas de indústria alimentícia ou farmacêutica;

– Controle de restos alimentares – todo resto alimentar deverá ser recolhido num mesmo depósito, a fim de serem descartados todos juntos. Não permita que haja outros locais de alimentação, a não ser dependências do refeitório;

– Remoção de entulhos – remover quaisquer amontoados de restos de construção, de lixo, galhos, troncos, madeiras, pedras, já que eles servirão de abrigo;

– Limpeza de terreno – manter os jardins sem amontoados de vegetação. Gramados bem mantidos desencorajam a passagem dos roedores. Utilize plantas que não dificultem a inspeção;

– Arranjo de materiais – madeiras, tijolos e telhas devem ser arrumados em estrados de aproximadamente 15cm de altura de modo a não servirem de abrigo a roedores e afastados uns dos outros aproximadamente 30cm e inspecionada por todos os lados;

– Condições de acesso – não deixar objetos encostados ao prédio, pois facilitam o acesso dos roedores. Podar galhos de árvore que sirvam de acesso para telhados;

– Controle de armários e depósitos – o cuidado permanente com armários e depósitos de objetos de qualquer natureza elimina os abrigos mais comuns de camundongos. Desse modo, mantenha-os limpos e arrumados;

– Transporte de alimentos e outros materiais – caminhões de cargas devem ser vigiados na carga e descarga para evitar o transporte passivo de roedores;

– Controle de córregos e canais abertos – as margens devem ser mantidas limpas e livres de vegetação e seus leitos desobstruídos. Assim não fornecerão alimentos e facilitarão a localização de ninheiras;

– Fechamento de vãos e buracos – procurar fechar os vãos de portas e janelas com madeiras, lâminas ou metal. Buracos e vãos entre telhas e paredes devem ser fechados com argamassa adequada;

– Entelamento – fechar quaisquer aberturas de aeração, entradas de condutores de eletricidade ou vãos de adutores de qualquer natureza, com tela metálica forte de malha de 8mm e removível, se necessário;

– Estocagem de alimentos – sacos, fardos e caixas nos depósitos devem ser colocadas em estrados com altura mínima de 15cm, afastados das paredes uns dos outros, a fim de que haja um espaçamento e permita dessa forma a inspeção em todos os lados. Entradas de portas ou quaisquer acessos devem ser rativedados. Não utilizar os armários de vestiário para guardar alimentos;

– Locais de refeições e preparo de alimentos – devem ser rigorosamente limpos, diariamente antes do anoitecer.

– Nas obras e construções, determinar local comum para refeição e exigir a colocação de restos em latas fechadas. Em hospitais e hotéis, prover todas as enfermarias ou quartos com vasilhantefechável para recolhimento de restos. O mesmo cuidado se deverá ter com as embalagens metálicas (“quentinhas”), que devem ser colocadas na lixeira;

– Controle de garagens e sótãos – não permitir a utilização de garagens e sótãos para acúmulo de objetos inúteis ou em desuso, nem quaisquer depósitos que não sejam à prova de roedores;

– Ralos e tampas de bueiros – firmemente encaixados e com crivação, de 6 mm no máximo, que não permita a passagem de roedores. É importante observar bueiros destampados ou com tampas quebradas;

– Esgotos e canais efluentes – devem ser fechados e canalizados, assim como as caixas sépticas rigorosamente vedadas e periodicamente desobstruídas (lembre-se que a Insetisan tem um setor especializado em desentupimento);

– Instalação para animais – devem ser construídos em concreto, no qual haja áreas laváveis. Aviários com telhas de malha de 1cm. Retirar o alimento de cães e outros animais ao anoitecer. – Não deve haver restos de vasilhames, pois podem atrair roedores.

  1. Cupins

– Evite acúmulo inadequado de papel;

– Ao construir é recomendável tratar previamente as madeiras a serem utilizadas;

– Utilizar telas de 2 cm em locais como: bibliotecas e arquivos.

  1. Lacraias

– Controle requer a remoção de vegetação rente às estruturas e entulhos, solucionar problemas de umidade;

– Providenciar a remoção de entulhos e retirada de folhas;

– Controle de baratas;

– Vedar frestas estruturais do lado de fora da residência.

  1. Percevejos

– Aspirar toda a extensão dos estrados, sob colchão;

– Áreas laváveis, realizar a limpeza com cloro;

– Examinar roupas de pessoas que tenham contato com alojamentos, asilos, creches e hospitais.

  1. Carrapatos

– Aspirar toda a extensão de pisos, carpetes e tapetes;

– Áreas laváveis, realizar a limpeza com cloro; Frestas de pisos devem ser calafetadas; Animais domésticos devem ser freqüentemente, tratados em clínicas por profissionais especializados.

  1. Brocas

– A prevenção contra esses insetos exige medidas que vão desde o abate da árvore até o produto final, uma vez que há diferentes grupos de brocas atacando a madeira nas diversas fases do seu beneficiamento;

– Inspecionar a madeira que se encontra em estoque com objetivo de detectar indícios de infestação;

– Examinar o local de estocagem com objetivo de verificar se as condições do ambiente estão favorecendo a infestação por brocas e/ou dificultando a detecção da sua presença;

Manter mobiliário de madeira encerado e envernizado.

1
Olá
Podemos Ajudar?
Powered by